MAPA DE TRILHOS, DIRTS E PARKS EM PORTUGAL

Projecto para marcar todos os spots de MTB em Portugal.

Pistas de Downhill e Feeride, trilhos de All-Mountain e ainda Dirts e SkateParks.

Para marcar o teu spot deixa um comentário a baixo com o tipo de spot (DH, FR, AM, Dirt ou SkatePark), o nome da pista/sitio e as coordenadas.


Visualizar MTB Trails em Portugal(www.ZEMTB.com) em um mapa maior

Legenda:

Pistas Downhill 

Pistas Freeride

Trilhos All-Mountain

Dirts

SkateParks

Deixo aqui umas dicas para construíres o teu próprio spot:

1. Solicita autorização e faz um protocolo com a entidade responsável pelos terrenos

Pede sempre autorização ao proprietário do terreno, antes de iniciares a construção dos saltos e obstáculos. A maioria dos saltos construídos sem autorizaçao, são rapidamente destruídos por máquinas, e pode vir a por em risco a construção de futuros projectos. Constituir uma sociedade ou parceria com o proprietário do terreno originará uma situação estável onde todos ganharão. A melhor forma de obter um parque de bicicletas é construir um projecto com a discriminação pormenorizada dos obstáculos e saltos que se pretende construir no local o mais perfeito possível.

2. Procura Formar uma Equipa de Construção Sólida

Entra em contacto com todos os pilotos que tu conheças e forma um grupo de trabalho. Procura a opinião de outros e a aprovação de entidades experientes na construção de parques de bicicletas, pesquisa exemplos e formas de construção segundo o manual da IMBA, entre outras entidades cuja a experiência é notória na construção de diversos parques de bicicletas envolvendo uma série de gente onde dará prestigio e durabilidade ao projecto. Um dos melhores parques de bicicletas surgiu da união de uma série de ideias. Não te esqueças de incluir as crianças e os pilotos de BMX!

3. Escolhe um Local

Escolher e obter um local ideal para a construção dos saltos, por vezes é o passo mais difícil. Deveremos ter em conta a sua localização, pois a permanência dos saltos dependerá no local onde serão construídos, deverá ser num local central, com ligação a outros trilhos, onde deverá ter árvores que nos oferecerá sombra e protecção solar e interesse no aproveitamento de matéria-prima, tem que ter uma boa drenagem incluindo um ponto de abastecimento de água.

4. Garante um Acesso Permanente a Água

Para efectuares uma manutenção dos saltos é indispensável um ponto de abastecimento de água ou mesmo armazenamento.

O melhor cenário é fazer um furo subterrâneo com uma bomba de extracção de água estrategicamente localizada.

Não subestimes este elemento, pois é fundamental para a conservação dos saltos de terra, para trabalhar os saltos deverá haver água em grande quantidade e caso não aja as torna-se difícil efectuar a sua manutenção, isto leva a que as pessoas o interesse pelo local e afastam-se.

5. Desenvolve um Plano de Manutenção

A elaboração e implementação de um delicado plano de manutenção é a melhor forma de assegurar a segurança e manutenção dos saltos. No mínimo o teu plano deve incluir uma zona de acesso a veículos de emergência, placar de informação com regras de utilização, sinalização e indicações de acesso a viaturas, caso seja possível delimitar as zonas de utilização, a descrição do plano de inspecção e manutenção deve estar bem visível de forma a verem as intervenções que se estão a efectuar.

6. Desenvolve um Sistema de Sinalização

É importante desenvolver um sistema de sinalização compreensível para o parque de bicicletas. Os sinais devem ser colocados á entrada de cada variante de acordo com o nível de dificuldade bem como à entrada do parque de bicicletas. A sinalização deve descrever correctamente a linha de saltos, regras elementares, avisos de risco do gênero “O Uso das pista está á tua responsabilidade”, contactos de emergência, etc…

7. Aquisição de seguro

A maioria dos parques de bicicletas requerem um seguro, de forma estarem precavidos de uma reclamação devido a uma queda ou mesmo de um acidente derivado de uma má construção. Á semelhança dos Skates parques já existem alguns parques de bicicletas com seguro de responsabilidade civil.

8. Desenvolvimento de um Programa de Inspecção e Manutenção

Saltos requerem uma manutenção contínua. Deves estar preparado para inspeccionar e manter um parque de bicicletas antes de iniciares a sua construção. Inevitavelmente, os estragos ocorrem das pessoas que andam quando os saltos se encontram ainda molhados, aterragens mal feitas, travagens, etc…

É importante desenvolver dentro dos utentes uma mentalidade que os encoraje e os leve a preservar e efectuarem pequenas intervenções que evitem a degradação mais rápida dos saltos. Limpem as ervas e mantenham sempre o parque limpo, coloquem contentores e sacos para o lixos, removendo-os com regularidade.

9. Desenha os saltos

Desenhar um parque com um bom fluir requer competência, visão e criatividade. Assegura-te que contactas pilotos experientes. Planeia um parque seguro e previsível mas que ainda dê alguma emoção e desafio. O Parque pode incluir todos os tipos de saltos, incluindo table-tops, gaps, step-ups, step-downs. O objectivo é que os obstáculos estejam seguidos para que o piloto passe de um salto para outro imediatamente. Idealmente o piloto não tem que travar entre os saltos.

É necessário permitir muito espaço de terreno limpo e suave para os lados dos saltos para as aterragens para quando se falha uma aterragem. Incluir um corredor para que os pilotos possam voltar ao início sem passar demasiado perto dos saltos.

Quando decidires todas estas questões tens que fazer uma planta que tenha toda a propriedade com todos os obstáculos, incluindo dimensões, elevações e drenagem. O plano tem que estar aprovado antes de começar a construção.

10. Inclui saltos para todos

É importante construir linhas de saltos que ofereçam uma grande variedade de desafios desde pequenas lombas até grandes saltos. A diversidade de linhas vai permitir aos pilotos evoluir nas suas capacidades gradualmente e vai criar um parque que é divertido para todos. Tipicamente as linhas de salto estão alinhadas lado a lado aumentando a dificuldade começando num ponto comum e indo todas na mesma direcção.

A oferta de aulas técnicas para ensinar a saltar e uso responsável dos saltos. “Saltar é tudo acerca da progressão” diz-nos o piloto profissional e construtor de saltos Jay Hoots. “Melhorar aptidões e subir para o próximo nível é que mantém todos os pilotos motivados”.

11. Mesas ou duplos?

Mesas são saltos que tem um topo plano que permite ao piloto passar por cima do salto sem ter que se elevar no ar. Duplos, que também podem ser chamados gaps, utilizam uma rampa de descolagem e outra de aterragem sem nada pelo meio.
Os pilotos têm que se lançar da descolagem para chegarem à aterragem. As mesas são essenciais para os principiantes e praticantes de nível baixo e intermédio. Porque não há um fosso para ultrapassar, as mesas são menos arriscadas que os duplos. Mas pilotos de alto nível procuram com frequência o desafio dos duplos e as mesas necessitam de muito mais terra que os duplos.
Saltos de meia mesa ou saltos de camelo, são uma mistura destes estilos. Eles não têm um topo plano mas um piloto pode passar por cima deles se desejarem. Não interessa qual o estilo que escolhas, constrói as tuas linhas de um modo consistente. Se uma linha de saltos é de mesas, então todos os saltos tem que ser de mesas. Não surpreendas os pilotos com um duplo no meio de saltos que podemos passar por cima.

12. Medidas e Geometria

A altura dos saltos para principiantes deve ser de 0,6 metros a 0,90 metros para aumentar a dificuldade adiciona 0,3 metros a 0,6 metros. O comprimento do salto de ser de 1,2 metros a 2,1 metros do topo do salto até a aterragem para os saltos de iniciados. O comprimento dos saltos deve ser proporcional à altura dos saltos e a sua inclinação para que os pilotos acertem na aterragem. Um salto com1,5 metros de altura ou maior deve ter uma aterragem ainda mais ampla para permitir uma má aterragem em segurança.

A distância entre a aterragem de um salto e a descolagem de outro deve ter cerca de 6,5 metros a 8 metros. O ângulo de descolagem e aterragem em saltos de iniciados não precisa de ser curvo ou a atirar para cima. As linhas mais difíceis podem ter saltos a atirar para cima com rampas que elevem os pilotos com suavidade para o ar.

13. Desenvolve um plano de construção

Chega a um acordo de como os saltos vão ser construídos e durante quanto tempo vai demorar a sua construção, quanto vai custar e quem vai fornecer o dinheiro, a terra, o equipamento e o trabalho. Ao fazer um bom planeamento vai evitar crises quando a construção estiver em curso.

14. Utiliza terra de qualidade.

O melhor solo para a superfície de saltos deve ser peneirado com um alto teor de barro. O solo peneirado é ideal porque fica compactado e é fácil de moldar. Torrões que são difíceis de quebrar indicam demasiado teor de barro. Dependendo da quantidade de chuva na tua área, as fundações dos saltos terão que ser construídas com solos mais porosos, como gravilha ou areia. A terra de melhor qualidade deve ser reservada para as descolagens e aterragens. Se usares terra do local ou terra de baixa qualidade podes ter de usar uma peneira mecânica para retirar as pedras.

15. Nivelar o local para a drenagem

Visita o local durante um dia de muita chuva para saberes onde se vai escorrer e acumular a água. “A drenagem é tudo!” diz-nos Jay Hoots. “Se possível, o local deverá ter uma suave inclinação perpendicular `linha de saltos para assegurar uma drenagem correcta”.
Baixios que retenham as águas têm que ser preenchidos, especialmente se estiverem entre os saltos. Um parque de saltos bem drenado deve estar pronto a ser usado após chover e requer menos manutenção. Nunca usar saltos enlameados e coloca sinais a avisar que os saltos não devem ser usados enquanto não estiverem secos.

16. Construir e compactar os saltos (finalmente!)

A utilização de máquinas para movimentar terra e construir saltos é uma grande poupança de tempo. Quer estejas a construir com máquinas ou à mão os passos são os mesmos:

1 – Forma saltos em bruto a faltar cerca de 2 palmos de terra, depois vai aplicando o resto até à forma final.

2 – Usa um ancinho para remover as pedras e desfazer os torrões.

3 – Molha ligeiramente a superfície, apenas o suficiente poderes trabalhar a terra sem que escorra água e forme lama.

4 – Usa mais uma vez o ancinho para a forma final ao salto e começa a compactar o salto.

5 – Quando o salto já não estiver peganhento usa ferramentas e passagens de bicicletas para compactar a superfície. As arestas e aterragens tem que estar suaves e consistentes, portanto leva o seu tempo a compactar cada superfície convenientemente.

17. Encoraja o envolvimento de todos

Envolver os pilotos desde o início vai facilitar a manutenção. “ Se queres saltar tens que cavar!”. Porque os saltos demoram tanto tempo a fazer e são tão frágeis, os pilotos têm que passar a mensagem. Segundo Timo Pritzel “A chave de um bom local de saltos é um grupo unido de amigos que está motivado para construir”.

18. Aprende com o BMX e Skate

Em complemento a estas dicas considera os conselhos oferecidos por organizações de BMX e Skate. Estas constroem parques desde os anos 70. AAmerican Bicycle Association oferece bons conselhos no seu livro “BMX Track Operator Kit” e o Skaters for Public Skateparks também tem boas dicas.

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers: